Ato de Submissão e de Resignação

Prece 01

Meu Deus, sois soberanamente justo, todo sofrimento neste mundo deve ter, pois, sua causa e sua utilidade. Aceito o motivo de aflição, que venho de experimentar, como uma expiação das minhas faltas passadas e uma prova para o futuro.

Bons Espíritos que me protegeis, dai-me a força de o suportar em lamentação; fazei com que seja para mim uma advertência salutar; que aumente a minha experiência; que combata em mim o orgulho, a ambição, a tola vaidade e o egoísmo, e que ele contribua, assim, para o meu adiantamento.

Prece 02

Eu Sinto, ó meu Deus, a necessidade de vos rogar dar-me a força para suportar as provas que vos aprouve me enviar. Permiti que a luz se faça bastante viva em meu Espírito, para que eu aprecie toda a extensão de um amor que me aflige por querer me salvar. Eu me submeto com resignação, ó meu Deus, mas, ai de mim! a criatura é tão fraca que, se vós não sustentais, temo sucumbir. Não me abandoneis, Senhor, porque sem vós nada posso.

Prece 03

Elevei meu olhar para ti, ó Eterno, e me senti fortalecido. Tu és a minha força, não me abandones; ó Deus! estou esmagado sob o peso das minhas iniquidades! ajuda-me; tu conheces a fraqueza de minha carne, e não desvias teu olhar de sobre mim!

Estou devorado por uma sede ardente; faça jorrar a fonte de água viva, e me dessedentarei. Que a minha boca não se abra senão para cantar teus louvores, e não para murmurar nas aflições da minha vida. Sou fraco, Senhor, mas o teu amor me sustentará.

Ó Eterno! só tu és grande, só tu és o fim e o objetivo da minha vida! Teu nome seja bendito, se me feres, porque és o senhor e eu o servidor infiel; curvarei minha fonte em me lamentar, porque só tu és grande, só tu és a meta.